Mercado de transferências: Bayern


Corentin Tolisso é a nova contratação do Bayern

Dos maiores times da Europa, o Bayern é, juntamente com o Manchester City, o que mais movimentou o mercado de transferências até o momento. Chegaram: Niklas Süle, Serge Gnabry, Sebastian Rudy e, nesta quarta-feira, Correntin Tolisso, contratação mais cara do clube (40 milhões de euros), junto com Javi Martínez. Além de Kingsley Coman, que estava emprestado pela Juventus e foi comprado em definitivo. Com exceção de Rudy, que já tem 27 anos e larga experiência na Bundesliga, as contratações seguem o mesmo perfil: apostas em jovens e na renovação de uma equipe que, este ano, perdeu Philipp Lahm e Xabi Alonso e tem como destaque os veteranos Ribéry (34 anos) e Robben (33).

A chegada do francês Tolisso, maior aposta até o momento e único não alemão dos recém-chegados, evidencia ainda uma clara disposição do time bávaro de abrir os cofres, visto que nos últimos anos o Bayern perdeu terreno na Europa para Real Madrid, Barcelona e até mesmo Atlético de Madrid, apesar de seguir dominante na Bundesliga. Tolisso, porém, ainda é uma aposta arriscada, dado, principalmente, o alto valor pago pelo meio-campista. Vale lembrar que ano passado o Bayern desembolsou 35 milhões de euros pelo português Renato Sanches, então com 18 anos de idade, que apenas ocupou o banco de reservas - e muitas vezes nem isso.

Mesmo que as contratações se mostrem promissoras, ainda não chegaram a Säbener Straße substitutos para as principais perdas do Bayern: Lahm e Xabi Alonso. Até o momento, o brasileiro Rafinha é o único lateral direito de ofício no elenco, com o jovem e talentoso Kimmich podendo ser improvisado. Mesmo que o forte de Kimmich seja a cabeça de área, o alemão já mostrou poder atuar em praticamente todas as posições no campo, mas ou ele substitui Lahm, ou substitui Xabi Alonso.

Com os cofres já abertos, o Bayern ainda não desistiu do chileno Alexis Sánchez, que pode muito bem bater o recorde de Tolisso e Javi Martínez. Mais uma vez, Sánchez, que seria uma excelente adição a qualquer elenco, não preenche uma carência na equipe bávara. Apesar dos cortejos do Real Madrid, Lewandowski não deve sair, e muito menos perder a titularidade. E Thomas Müller, que fez uma temporada bem ruim sob o comando de Ancelotti, é daqueles que deve passar a vida inteira em Säbener Straße.

A possível chegada de Sánchez implicaria na praticamente obrigatória saída de Douglas Costa, que perdeu espaço no time com a chegada do técnico italiano e já manifestou sua insatisfação. Mais inteligente seria a contratação de outro zagueiro de peso, mesmo que para a reserva - desafogando, assim, Kimmich, substituto de todos os jogadores do meio para trás - e de outro meio-campista já consagrado que pudesse se revezar com Thiago, Vidal e até mesmo Kimmich, que já tem cacife para ser titular.

Nos últimos quatro anos, vimos o Bayern cair vertiginosamente de produção na metade final da temporada - principalmente em abril, mês de maratona de jogos e de partidas decisivas - devido às lesões no elenco. A renovação do time visando ao futuro próximo parece estar bem encaminhada, porém substituir as perdas de Lahm e Xabi Alonso à altura e ter um banco que permita fazer rotações no time principal sem perder qualidade também deveriam estar no topo da lista de prioridades em Säbener Straße.

Crédito: fcbayern.com

You Might Also Like: