Dança dos atacantes na Premier League


O mercado de transferências inglês ainda está longe de fechar, mas a Premier League começa em 17 dias, os times já estão participando de torneios amistosos de pré-temporada e, por isso, fechando seus elencos, para começarem o Campeonato Inglês prontos e preparados. E o que mais chama a atenção nesse "vai e vem" é a preferência dos principais times ingleses por renovar o ataque.

No Chelsea, o técnico Antonio Conte abriu mão de Diego Costa, um dos melhores centroavantes do mundo, e o avisou disso por mensagem de celular durante as férias. O hipano-brasileiro acertou sua volta ao Atlético de Madrid, mas vai passar a primeira metade da temporada no Milan - o Atlético está proibido pela Fifa de assinar novos jogadores até janeiro de 2018 -, e a contratação de um substituto se tornou prioridade em Stamford Bridge. Borussia Dortmund e Arsenal dificultaram as saídas de Aubameyang e Alexis Sánchez, respectivamente, e Lukaku, outro pretendido pelos Blues, acabou indo para o Manchester United, portanto o Chelsea fechou com Álvaro Morata.

O espanhol precisa de uma oportunidade para finalmente mostrar todo o seu potencial e estar na Copa de 2018 e, aos 24 anos, pode ser titular pela primeira vez na carreira. No Real Madrid e na Juventus, Morata teve excelentes desempenhos, mas nunca conquistou a titularidade ou esteve sob a pressão de ser a maior aposta de um grande time que briga por todos os títulos possíveis. Em Londres, o jogador estará cercado por vários conterrâneos - Pedro, Fàbregas, Azpilicueta e Marcos Alonso, e o Chelsea ainda mira em Fernando Llorente -, que certamente o auxiliarão na adaptação ao explosivo e dinâmico futebol inglês. A adaptação à pressão, porém, é outra coisa...

O alto valor desembolsado por Morata, um excelente atacante, mas que nunca foi titular, evidencia o quão inflacionado está o mercado e mostra que os exorbitantes 222 milhões de euros do PSG por Neymar e 180 milhões do Real Madrid por Mbapée - além de outras extravagâncias - podem mesmo se tornar realidade. Pelo espanhol, o Chelsea pagou 65 milhões de euros, que podem chegar a 80 milhões dependendo das conquistas do jogador e do time. Para efeito de comparação, Zidane quebrou o recorde de transferência mais cara do mundo, em 2001, ao ser comprado pelo Real Madrid por 75 milhões de euros quando já ostentava um título mundial e uma Euro pela França, uma Bola de Ouro da France Football e dois prêmios da Fifa de melhor jogador do mundo.

Já Lukaku foi para o Manchester United por 82 milhões de euros. O belga foi reserva no Chelsea de Mourinho em 2013 e 2014 e explodiu no Everton. Diz a imprensa inglesa que os Blues também ofereceram 82 milhões de euros pelo retorno do atacante, mas que o atacante foi seduzido ao United pelo técnico português. Já bastante adaptado à Premier League, o centroavante de 24 anos, que substitui Ibrahimovic, é a contratação mais valiosa deste mercado de transferências até o momento. Com caras apostas em Pogba, Lindelöf, Mkhitaryan e Bailly, além de Lukaku, Mourinho não pode mais se dar ao luxo de outra temporada medíocre em Old Trafford.

O Arsenal, por sua vez, ainda não perdeu Alexis Sánchez - e dá a entender que não perderá mais, mesmo que o chileno já tenha explicitado que deseja jogar a Champions League este ano -, mas também se reforçou. Os Gunners desembolsaram 51 milhões de euros para tirar Lacazette do Lyon, uma contratação mais modesta e mais arriscada, visto que o francês nunca saiu da Ligue 1. No entanto, Lacazette é muito mais versátil que Giroud - que também foi contratado por Arsène Wenger após ser artilheiro do Campeonato Francês - e pode fazer uma boa dupla com Sánchez.

Quem também renovou o ataque na Terra da Rainha foi o West Ham. Esta semana, os Hammers confirmaram as chegadas de Arnautovic, que se destacou pelo Stoke City, e Chicharito Hernández, que vem de uma boa passagem pelo Bayer Leverkusen e volta à Premier League, onde atuou por quatro temporadas. Já o Liverpool apostou no egípcio Mohamed Salah, ex-Roma, e tentar manter Philippe Coutinho a todo custo, enquanto o Everton fez apostas discretas no meia holandês Klaassen e no espanhol Sandro Ramírez, formado no Barcelona, mas que estava no Málaga, além do retorno de Rooney.

Maior gastador do mundo até o momento - com as transferências de Mendy (55 milhões de euros), Walker (48,5 milhões) e Danilo (28,5 milhões), finalmente superou o Milan na lista -, o Manchester City é, juntamente com o Tottenham, um dos únicos grandes times da Inglaterra que não vêm apostando tanto no ataque, setor para o qual contratou apenas o ala Bernardo Silva. Isso porque Agüero deve permanecer e Gabriel Jesus estreou bem na segunda metade da temporada passada. Guardiola, porém, está investindo pesado na defesa, setor bastante deficiente no City. O Tottenham, por sua vez, ainda não se mexeu no mercado, e o técnico Mauricio Pochettino já declarou que vai investir na promoção de jogadores criados em casa.

Com a ascensão de Liverpool e Tottenham, a injeção de dinheiro no Manchester City e "coadjuvantes" fortes como Everton e Southampton, além das ocasionais surpresas, como foi o Leicester em 2015/16, a Premier League já é há algum tempo o campeonato mais nivelado da Europa. Agora pode vir a ser também o mais ofensivo.

Crédito: facebooks Chelsea Football Club, Manchester United e Arsenal

You Might Also Like:
  • White Facebook Icon
    • White Twitter Icon
    Rio 2016
    Santiago Bernabéu
    Santiago Bernabéu
    Estádio Olímpico de Berlim
    Parken Stadium
    Estádio Olímpico de Berlim
    Estádio Olímpico
    Estádio Aquático
    Maracanã
    Grand Stade de Marrakech
    Centro Olímpico de Tênis
    Arena Olímpica do Rio
    Velódromo Olímpico
    Arena Carioca 1
    Allianz Arena
    Estádio Azteca
    Allianz Arena
    Staples Center
    Grand Stade de Marrakech
    Couto Pereira
    Mercedes Benz Arena
    Max-Schmeling-Halle
    Mercedes Benz Arena
    Ciudad Real Madrid, Valdebebas
    Estádio Olímpico de Amsterdã
    José Alvalade
    Amsterdam ArenA
    Camp Nou, orelhuda
    San Mamés
    Ramón Sánchez Pizjuan
    Caja Mágica
    Santiago Bernabéu
    José Alvalade
    Monumental de Núñez
    Estádio do Dragão
    Estádio da Luz
    Benito Villamarín
    Camp Nou
    Arena Fonte Nova
    Estádio Olímpico de Berlim
    Stadion An der Alten Försterei
    Estádio Olímpico de Berlim
    Sobre a autora

    Apaixonada por futebol desde 1981.

    Entusiasta de quase todos os outros esportes.

    Turista de estádios.

    Combinando a bola no pé e os dedos no teclado em seu próprio espaço.

     

    Procura por Tags

    © 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com