O Real Madrid não precisa de Mbappé


Real Madrid posa com a taça da Supercopa da Uefa

Foi apenas o primeiro jogo oficial da temporada, mas o Real Madrid mostrou que é sério candidato a continuar sendo o melhor time do mundo. Os Merengues sobraram na vitória por 2 a 1 sobre o Manchester United pela Supercopa da Uefa esta terça-feira e mostraram ainda que, por mais que tenham excelentes jogadores em todas as posições, sua força como equipe vem do meio de campo. E que se Mbappé realmente chegar - por 180 milhões de euros -, será uma extravagância: o Real sofreu poucas alterações neste mercado de transferências, justamente porque o elenco está completo.

Mesmo com Cristiano Ronaldo no banco, o primeiro tempo foi inteiro do Real e, em determinado momento, os comandados de Zidane botaram os de Mourinho na roda, numa troca de passes que lembrou o Barcelona do fim dos anos 2000. Casemiro foi o maior destaque do jogo, marcando o primeiro gol em sua terceira finalização perigosa. Com a mesma camisa 14, o brasileiro é realmente o herdeiro de Xabi Alonso: um volante inteligente, que além de proteger a zaga é quem inicia a saída de bola da equipe. Suas chegadas ao ataque deixavam desbaratada a defesa dos Red Devils.

Mourinho, aliás, terá muito trabalho para organizar o setor defensivo do United. No segundo tempo, uma tabelinha básica entre Isco e Bale deixou cinco jogadores do time inglês inertes enquanto o espanhol recebia a bola para fazer o segundo gol merengue. Após a entrada de Fellaini, o Manchester fechou melhor a marcação e até passou a se aventurar no ataque com mais perigo, marcando seu gol com Lukaku aproveitando rebote. Por mais que eu não goste do estilo de jogo do meio-campista belga, é preciso reconhecer que Mourinho sabe tirar o melhor de jogadores brutos e muito pouco talentosos, como foram os casos de Pepe e Materazzi. O recém-contratado Matic pode dar mais segurança ao meio de campo inglês, mas ainda não está totalmente entrosado à nova equipe.

Ainda em ritmo de pré-temporada, o Real Madrid tirou o pé do acelerador depois do segundo gol. Benzema, Isco e Bale passaram a trocar posições, e o espanhol, que já fizera um excelente primeiro tempo, se tornou mais perigoso, assim como aconteceu na decisão da Champions contra a Juventus, há dois meses. Sem James Rodríguez, Isco terá menos concorrência e provavelmente mais espaço no time titular. E, como seu contrato vence no fim da temporada, será uma ótima oportunidade para brilhar ainda mais que no fim da temporada passada e negociar uma polpuda renovação.

Lucas Vásquez, Asensio e Cristiano Ronaldo, que não foi titular por ter as férias atrasadas devido à sua participação na Eurocopa, entraram no fim, mostrando que não faltam opções ofensivas no elenco merengue. Se o Real Madrid insistir em contratar Mbappé será apenas para mostrar ao Barcelona que, enquanto o maior rival perde craques, o Real contrata, e para fazer frente aos times bilionários que andam esbanjando dinheiro no mercado de transferências. Com apenas 18 anos, o craque francês é um investimento de longa duração e certamente estará mais caro daqui a três ou quatro anos. No entanto, gastar 180 milhões de euros num jogador que não terá espaço no time titular por agora é um desperdício desmesurado, enquanto que trazer mais um atacante para um time que já está funcionando extremamente bem - entre titulares e reservas - é uma arriscada mudança.

Crédito: Ángel Martínez/realmadrid.com

You Might Also Like: